Arquivo | Moda RSS feed for this section

Camisa ‘podrinha’ de luxo

22 set

Com essas mudanças de temperatura esquizofrênicas do tempo aqui no Rio, uma pecinha coringa e camarada é a t-shirt ‘podrinha’.  Aquela bem fininha, que antigamente tínhamos que esperar anos para que ficasse transparente como um papel manteiga, lembam? O problema é que nesta altura elas já estavam furadas – o que atualmente também não teria nenhuma problema, né?! Pois então, hoje vocês já devem ter visto que elas são vendidas assim, graças aos fios finíssimos, mas novinhas em folha mantendo a cara de antiguinhas!

Elas são ótimas para o efeito ‘cebola’ de usar várias camadas de roupa que vão sendo tiradas ao longo do dia e voltam a ser colocadas à noite. E ela ainda percorre todas as estações até se soltar de vez no verão!

E, caso não saibam, a podrinha mais badalada é a do Alexander Wang.

E não é a toa. Consigo reconhecer a T dele só de olhar a foto – juro juradinho. Caimento perfeito, textura translúcida e modelagem sequinha (mesmo a over size, acreditem). Não há podrinha melhor no mundo! rs

Com o sangue japonês correndo nas veias, Wang preza pelo minimalismo.  Sendo assim as t-shirts são, geralmente, nas cores básicas preta, branca e cinza (mescla). Não dá pra errar, né?!

Eu simplesmente amo esse tipo de camiseta já que dá uma discontraída em qualquer produção.

Mas para o visú não ficar muito relax sugiro apostar em contrapontos mais elegantes como saltos altos ou blazers, paetês, maxi colares (ou pulseiras, anéis), sapatos abotinados, e vai por aí que vai bem!

A podrinha nasceu para o visual rocker (fica lindo com a jaqueta perfecto de couro), mas o inusitado pode ser muito interessante também. Que tal combiná-la com a calça cenoura? Se for com a estampa de onça é um passaporte carimbado pro estiloso!

As camisetas do Wang são geralmente compridinhas, ótimas para usar soltinha sobre o legging ou presa despretensiosamente na frente – mas meio de lado, né?!  rs

Dica: se quiser ‘alongar’ o corpinho, se joga no tom sobre tom.

Pode usar também com saia tanto por dentro quanto por fora , neste caso pode colocar um cinto fino para acinturar.

Ok, alguém reparou uma figurinha repetida nesses looks? A Golestaneh (ainda estou custando a acreditar que esse é o nome dela e torcendo para ter me enganado…) é uma blogueira alemã que, visivelmente, é uma adicta da T by Wang.

Ela tem inúmeros looks com a podrinha de luxo. Que de podrinha só tem o aspecto, já que custa em média 76 dólares (por volta de 130 reais) – isso lá fora, aqui vai ser o dobro, aliás se alguém souber onde vende aqui, fala aí nos comentários. O que é muito em se tratando de uma podrinha, mas é uma pechincha se pesarmos seu staus adquirido. E vamos atentar para o fato de que tem umas lojas daqui em que uma camiseta desse tipo é ainda mais cara que isso…

Então vai na Zara que você também vai bem. ;)

 

PS: Todas as camisetas deste post são Alexander Wang e as fotos são do site Chictopia.

Anúncios

Gastronomia fashion – Dulce Delight

12 set

Não adianta: pessoa que gosta de comer, gosta de programa de culinária. E pessoa que gosta de comer, e ainda gosta de moda e decoração, ama programas de culinária-fashion!Já falei dos programetes da Isadora Becker do Gastronomismo que tem um clima “vintage caseiro”  e agora falarei da Raiza do Dulce Delight, que é mais inspirado no “vintage pinup” .

Apesar do seu site ser todinho em inglês, a moça tem a essência espevitada que só uma brasileira poderia ter. Auto didata, aprendeu gastronomia por conta própria, mas a formação em Artes Plásticas deixa claro de onde vem seu senso estético – tanto da apresentação dos pratos, quanto das fotos tiradas deles e do cenário-cozinha maravilhoso que parece ter saído direto dos programas de culinária dos anos 50!

O que é, por exemplo, esse rolo de macarrão finamente estampado senão algo para se morrer de amores?

Receita (e vídeo) do croissant aqui.

As fotos são tão lindas que dá vontade de comer. A foto. E a comida. :)

Esses deliciosos musses de forminha estão no vídeo abaixo. Ah, gente, se prepara que ela é uma figura: tchanaaaam!

Quero essa batedeira com todas as forças que já utilizei para fazer clara em neve!

A Raiza costuma inserir receitas com ingredientes brasileiros também, como o Bolo de Banana e o Flan de Tapioca com Coco. Prestenção nas embalagens dos ingredientes..

E para finalizar – e para não dizerem que só coloco receitas de doces – o último vídeo dela foi o da receita de Quiche de Cebola. Gostei especialmente deste vídeo porque mostra como ela produz seu programete. É mutio bacana ver gente disposta a fazer coisas bacanas, mesmo que tenha que fazer sozinha (embora neste caso, com uma ajudante-amiga). Pois segundo minha amiga Livia (que foi quem me sugeriu essa pauta – valeu Lili!) é a própria Raiza que produz, grava, fotografa e edita. #Queroserassimmodeon

 

E mostra também que acidentes acontecem desde Julia Child! hahaha

Se você quer saber onde ela encontra alguns desses objetos cute, dá uma olhada  aqui.

O pensamento de hoje é: “nada como uma boa imagem para dar mais credibilidade a um bom trabalho”! Vocês não acham?!

Camisa masculina dá pano pra manga

31 ago

Deus (que nesse caso atende pelo nome de alfaiate) devia estar inspirado quando criou a camisa social. Ê pecinha versátil! Como é uma peça de roupa clássica, acho très interessante dar uma desvirtuada na sua essência – como já mostrei no post sobre camisa social branca. Então por que ficar restrita a dupla manjada de camisa social com tailleur/terninho???

Pois lá fora a nova mania entre as descoladas é a skirt-shirt, ou seja, a camisa social masculina (obviamente pelo seu tamanho) dando uma pinta de saia. Ô povo inventivo! Adoro!

No início do ano Dries Van Noten trouxe para a passarela esta forma de usar a camisa, em seu desfile de Verão 2011. Unindo o útil à tendência, colocou a saia-camisa no comprimento midi, que pessoalmente não gosto – será que é porque tenho um metro e meio?

Mas o legal é pegar a camisa do mozão mesmo e enrolar na cintura – o pulo do gato que aprendemos com a moça ao lado é que passando um cinto, dá para amenizar o volume que por ventura se formará.

Outro que transferiu o modelito para a modelagem foi Alexander Wang. Vamos combinar que, embora perca o charme do inusitado, desta forma fica mais usável para as meras mortais com carninhas, né?!

Para quem quer se aventurar na amarração das mangas, pode fazê-la bem na frente e também na lateral. E abotoar os botões errados deixa um assimétrico bacana.

Pensou que acabou a invencionice??? Pois da camisa social faz-se também modelos de vestido, blusas…

 

 

O negócio é se jogar na criatividade (tem um videozinho para ajudar;)!

Ok. Só falta ser magra como ela para tudo ficar bem assim! rs

Mas não custa nada tentar, né?! Vai que a gente acaba inventando um outro modelo também…  ;)

Eu gosto. E você, teria coragem?

É de botar o chapéu!

9 ago

Esse final de semana, conforme prometi, fui à feira da Praça XV para comprar os broches do meu buquê – não percam as ‘cenas do próximo capítulo Buquê de Broches’ – e depois de me esbaldar, segui tomando uma overdose de barraquinhas na veia, passando ainda na feira da rua do Lavradio. Depois de ter meus olhos voltados apenas para as relíquias reluzentes, assim que ergui a cabeça, percebi que o chapéu coroava boa parte das cabeças da galera que por lá passava, em dia lindo de sol e samba na Lapa.

 

 

Em uma rua transversal à da feira acontecia o aniversário do meu cunhado Jairo (parabéns de novo cunha!) no bar Gabinete, e não é que lá, embaladas pelo sambinha gostoso do grupo Arruda, as cabeçinhas balançavam seu chapéu, na maioria das vezes Panamá.  E o presente que eu dei para ele, adivinha qual era??? Pois é. Mas a originalidade ficou por conta do material do chapéu, que era de couro! Leeendo!  :)

Não importa o material nem o formato, o importante é que o chapéu está na moda de inverno e de verão, é super estiloso e dá um upgrade em qualquer visual! E para saber o que combina com você nada melhor que… experimentar!

Dá uma olhada nos looks, para servirem de inspiração… Divinos!

Adoro esse visual meio folk do chapéu de palha, jeans e sandália de franjas!

Paxonei nesse cinto de penas…

Ah, e viu que nem sempre o chapéu precisa ficar atochado na cabeça, né?!

Camisa jeans com nozinho e saia florida, bem no estilo ‘uma casa no campo‘, é certeiro para o chapéu de palha.

Adoro vestidos fluidos com panamá! Anelzão e pulseiras deixam o look mais ousado. O vestido listrado com cintinho e cardigan também ficou uma graça!

E não precisa ficar restrita ao chapéu de palha para o visual ‘longo’…

Chapéu de palha, de feltro ou de couro ficam ótimos tanto combinando os estilos quanto misturando. O de palha combina com roupas românticas, campestres,  vestidos fluidos e navy, por exemplo. Mas também não se acanhe se estiver com um visual rocker e quiser colocar aquele chapéu de palha… O estilo é você quem faz. ;)

Ficaram curiosas para ver o chapéu que dei pro meu cunhado? Tinha nas cores preta, branca com a faixa marrom, vinho com a faixa preta e esse marrom com preto. Lindo, né?!

O preço? É indelicado falar o preço de um presente, né?! Mas se você quiser muito mesmo saber…  40 + 134 – 67 – 35 – 42 +10.  rsrsrs

A riqueza do buquê de broches

3 ago

Ao procurar um fotógrafo para o meu casamento, depois de muitos sites visitados,  encontrei o da Junia Lane, e descobri que dentre tantas escolhas que temos que fazer para o casamento, existem coisas que nos escolhem. Pois ali me senti totalmente escolhida pelas suas imagens. É verdade, suas fotos me laçaram pelo pescoço e não consegui mais pensar em nenhum outro fotógrafo para eternizar os momentos da nossa festa à fantasia. E no dia em que entrei no blog dela, me deparei com as fotos que eram, coincidentemente, de um casamento (lindo!) na Confeitaria Colombo, e ainda por cima com esta foto que me arrebatou o ar.

Pausa para o Ownnn… rs 

Não consegui pensar em um buquê tão rico, não apenas pelo valor das peças, mas pela riqueza de encantamento. Sério, não há quem eu mostre e que não se encante perdidamente (né, Má?! rs). Dá uma baita vontade de casar só para poder usar o buquê! hahaha  Mas pensei lá com os meus botões que conseguir arranjar um buquê desses deveria ser mais difícil que arranjar um noivo lindo, cheiroso, inteligente e compreensivo…

Mas meu faro de blogueira rastreou as pistas que nos levarão ao tão sonhado punhado de broches!

Descobri que a criadora deste buquê foi a Amanda Heer, e em seu site tem para vender. Custam a partir de 350 dólares, sem taxas – já que Amanda mora na California. Se quiser pode mandar um email solicitando informações sobre essas belezuras. E se você não quer se esticar até o outro hemisfério, aqui no Brasil encontrei  a Ana Stein do blog Coisas de Sanica, que faz o buquê! Não vi o preço, mas você pode entrar em contato aqui.

Maaaas se você é tipo eu e curte o “faça você mesma”, descobri alguns tutoriais de como fazer o seu arranjo, que na verdade não precisa ser apenas de broches, serve bijus do Saara (ou rua 25 de março em SP) também. Basta ter um gosto Fino, né?! No My Little Vintage Wedding e no Casamento à Vista elas contam como fizeram seus ricos buquês.

Não preciso nem dizer que depois de ver – com a ajuda de nossas companheiras de blog – que é relativamente fácil, e também como já gosto de botar um dedinho em algumas coisinhas do casamento, está decidido, vou fazer o meu buquê de broches! Tô realmente acreditando que vou ter tempo para isso! Mas como a fé não costuma faiá… hahaha

 

 

Quero manter o estilo antiguinho mesmo – já que estarei vestida de Marilyn – então, neste sábado mesmo vou na feirinha de antiguidades da Praça XV para ver se encontro broches, anéis ou qualquer outro acessório que dê para montar meu tesouro. Aos meus amigos e família declaro que as portas da minha caixinha de ‘jóias’ estão abertas para doações!

Sei que minhas amigas solteiras vão ficar desapontadas, mas esse buquê não será jogado…. Aaaaaaaahhh

E depois do big day ainda repousará majestoso na decoração da minha estante! ;)

Estilo Musical: Amy Winehouse

25 jul

Talvez tenha me faltado originalidade de um tema para esse Estilo Musical. São tantos os jornais, revistas e programas que abordarão a morte de Amy Winehouse pelos próximos dias, que me sinto até um pouco intimidada – e constrangida – de abordar esse assunto. Mas a verdade é que sou fã confessa desta cantora de voz poderosa, e de certa forma não me conformo com o rumo que sua vida tomou. Os ídolos não deveriam ter propriedade sob a própria vida, certo?! Que audácia nos dar um bem tão precioso e se achar no direito de tomá-lo, assim pela sua vontade.

 

 

Resolvi fazer o Estilo Musical de hoje com Amy Winehouse, mesmo sob o risco de parecer oportunismo, simplesmente porque sou fã e porque, dentre tantos flagrantes em imagens degradantes, gostaria de poder ao menos tentar resgatar um resquício da admiração que um dia cheguei a ter por ela. Assim, prestarei de certa forma uma homenagem, mostrando aqui o que ela tinha de melhor: o estilo e a voz.

 

Amy chegou cheia de personalidade, tanto vocal quanto visual e isso, inevitavelmente, influenciou o mundo fashion. Assim como Dita Von Teese, Amy – em sua fase áurea – resgatou o glamour dos anos 60. Mas como tudo em sua vida, a cantora carregou nas tintas do exagero, mais obviamente no cabelo e no delineador! O ninho de Pterodáctilo no topo da cabeça foi hit das festas à fantasia, e o delineador teve seu status resgatado  em muitos desfiles, inclusive. E vamos combinar que depois do exagerado “gatinho” de Amy, ficou muito mais fácil se jogar sem medo nos traços dos delineadores!

No dia a dia parecia inacreditável que alguém fosse conseguir sair sempre com um ninho gigantesco na cabeça – e o grosso delineador! – mas Amy se manteve tão fiel ao acessório que ele virou praticamente “básico”.

 

Até para ir ao supermercado ela lançava mão de seu cucuruco! Os cintos, grossos ou finos, também não podiam faltar em suas produções: acinturando saias e vestidos ou no cós de calças baixas, escuras e ‘sequinhas’. Depois de colocar silicone, a cantora foi se tornando cada vez mais sexy, mas sem perder o estilo vintage. Na verdade ela misturava os elementos antigos com uma atualidade incrível! Do ballet na infância, trouxe de referência as sapatilhas, que costumava usar tanto para o dia quanto para a noite.

No palco e no “tapete vermelho”, Amy Winehouse geralmente usava os vestidos acinturados, flores no cabelo e saltos altos – para shows grandiosos, para os mais intimistas a cantora se mostrava bem à vontade com short e camiseta branca.

Fred Perry teve a diva soul como inspiração e modelo de sua coleção de inverno 2011. As fotos da campanha ficaram ótimas e as peças são a cara de Amy!

 

 

Como todos conhecem a potência de sua voz, escolhi este vídeo da música “Love is a losing game” (O amor é um jogo de azar).

Eu diria que a vida é jogo de azar. Um dia a gente ganha e no outro a gente perde. Perdemos Amy Winehouse, mas ganhamos o registro de sua voz. Podemos dizer que é um consolo?!

 

Casaco para vestido longo

29 jun

No verão o vestido longo bombou, você torrou o cartão em alguns exemplares e agora no inverno não sabe o que fazer com esses metros de tecido pendurados no armário??? Não se desespere! Separei algumas opções de casacos que deixam o visual com vestido longo bem bacana.

 

Como o vestido longo sugere linhas mais retangulares, cuide para que o casaco seja bem sequinho, próximo ao corpo. Afinal ninguém quer parecer uma ‘pilastra’, não é mesmo?!

A jaqueta perfecto, como as usadas nas imagens acima, dão um toque moderno à produção. Tanto a de couro como a jeans, ou até mesmo de moleton ficam bem charmosas. Sou super fã!

 


A jaqueta jeans clássica, mais acinturada, faz uma ótima dobradinha com o vestido casual. Aproveite para colocar umas pulseiras ou um maxi anel para ficar mais elegante. Já o cardigan é o casual do casual, então se jogue em acessórios marcantes para não ficar muito xoxa.

 

O blazer deixa o look mais elegante e pode ser usado tanto de dia quanto de noite. Para uma festa de gala lembre-se de optar por um blazer com um bom corte, pois fará toda a diferença na sofisticância!

 

Nesta sexta tem o casamento da minha prima Brunella (beijo, Babu! Tá nervosa? rs) e diante do frio visceral que eu, minha irmã e minha mãe – e acredito que muitos outras convidadas – estamos sentindo, nos veio a dúvida cruel: como usar nossos longos estonteantes com esse gelo de rachar os ossos????

Além da batida echarpe, ou pashmina, achei mais interessante (alô mãe e irmã) usar um blazer ou – gosto mais ainda! – com uma jaqueta de couro. O couro não costuma ser muito usado para noites de gala, mas justamente por isso ele vira uma ousadia fashion que me agrada mucho! Olha como a Helen Mirren ficou avant garde com a jaqueta biker de couro! Ela foi ousada mesmo porque combinar couro com onça poderia ter resultado em um desastre.  Agora, dá um zoom na manga dobrada! Adoro! Afinal quem foi rainha…